quinta-feira, março 06, 2008

Sem ti



E de súbito desaba o silêncio.
É um silêncio sem ti,
sem álamos,
sem luas.

Só nas minhas mãos
ouço a música das tuas.

Eugénio de Andrade

Imagem daqui

5 comentários:

peciscas disse...

Na simplicidade das palavras certas e juatas, está, muitas vezes, a grandeza de um poeta.

Special K disse...

E que grande é o Eugénio. Por falar em música, adoro esta versão do Sweet Jane, vou já sacá-la.
Bjks

Lumife disse...

Visitando uma amiga e anunciando o meu regresso às lides bloguistas...

As saudades eram muitas e só assim estou bem.

Virei com mais tempo ler as tuas escolhas poéticas.

Beijos

Paula Raposo disse...

Eugénio de Andrade torna-se incomentável...as suas palavras dizem tudo, tudo.

Poesia Portuguesa disse...

Não me canso de ler este poema...

Maravilhoso!

Hoje estou romântica... ainda mais que o costume... ;)))