segunda-feira, março 17, 2008

Poema Antigo



O
homem que percorro
com as mãos

e a lua que concebo
na altitude
do tédio


o oceano
penso paralelo - ventre
à praia intacta
das janelas brancas
com silêncio

ciclames-astros
entre
as vozes que calaram
para sempre
o verbo - bússola
com raiz - grito de relevo

O homem que percorro
com as mãos
a estátua que consinto
a lua que concebo.

Maria Teresa Horta

Imagem daqui

5 comentários:

DelfimPeixoto disse...

Quanta saudade de te ler e ter em minha casa

peciscas disse...

Inconfundível o estilo e o toque da Teresa-Horta!

Special K disse...

Como eu adoro as palavras desta senhora.Também excelente a escolha músical.
Bjks

andorinha disse...

Esta mulher é uma das minhas paixões:)
Gostei muito do poema.
Beijos.

Paula Raposo disse...

Quanta sensualidade sempre!! Adoro!