domingo, março 09, 2008

Amor amado



Assim como os poentes
São rubros e as rosas,
Tão vivo é o meu amor por ti.
Com essa força atravesso
Todas as tempestades
E descubro em cada momento
A fonte da alegria.
No silêncio repito
O teu nome como um bálsamo
E sei que tu o meu repetes
como um apelo.
E o apelo não é vão
Pois com ele me dás as estradas
E os atalhos para chegar a ti.
Ao teu encontro vou
Com as rosas de Maio
Com as cerejas de Junho
Com as uvas de Setembro
E cada mês me dá para te levar
a sua novidade
Pois o amor faz novas todas as coisas.
Quando te não vejo vejo-te em todo o lado
E oiço-te em todas as vozes
Tu que és a única voz.
Em ti me refaço e me transformo
E fluo para ti como um grande rio
Na certeza de ti, que és o meu (a)mar.

Maria Teresa Dias Furtado

Foto:Niko Guido

3 comentários:

papagueno disse...

Lindo, mais um dos muitos poetas que venho conhecer por aqui. Confesso que j� n�o sei se � poeta ou poetisa. Na escola aprendi que se dizia poetisa, agora tenho vindo a ler poeta, mesmo quando se refere a uma mulher.
estas d�vidas lingu�sticas :)
Bjks

Menina_marota disse...

Não conhecia... mais uma poeta a descobrir...

Grata pela partilha
Bj

Paula Raposo disse...

Gostei...