quinta-feira, dezembro 13, 2007

Depoimento



Deponho
no processo do meu crime.
Sou testemunha
E réu
E vítima
E juiz
Juro

Que havia um muro,
E na face do muro uma palavra a giz.
MERDA! – lembro-me bem.
– Crianças......
– disse alguém que ia a passar.
Mas voltei novamente a soletar
O vocábulo indecente,
E de repente
Como quem adivinha,
Numa tristeza já de penitente
Vi que a letra era minha.....

Miguel Torga daqui

Imagem daqui

3 comentários:

Fatyly disse...

Não conhecia este poema de Miguel e li vezes sem conta:) Gostei muito!

Beijocas e um resto de BOM DIA!

Paula Raposo disse...

A letra também é minha...

Isabel-F. disse...

que MARAVILHA ...


não conhecia este poema de Torga, poeta/escritor que tanto admiro ...


beijinhos