quinta-feira, fevereiro 21, 2008

Esquece-te de mim, amor



Esquece-te de mim, Amor,
das delícias que vivemos
na penumbra daquela casa,
Esquece-te.
Faz por esquecer
o momento em que chegámos,
assim como eu esqueço
que partiste,
mal chegámos,
para te esqueceres de mim,
esquecido já
de alguma vez termos chegado.

António Mega Ferreira

Foto:Stefan Beutler

4 comentários:

Gi disse...

Taõ simples e tão belo. Este poema não conhecia.

Um beijo, noite feliz

Paula Raposo disse...

Estas palavras assentam que nem uma luva, hoje e agora...beijos.

Menina_marota disse...

Um poema que cai fundo no coração... Tão poucas palavras, como dizem tanto...

Bj

MUTUMUTUM disse...

Deve ser inexplicavelmente horrível ter de se esquecer dos momentos tão belos vividos juntoz... mas é tão necessário qdo há essa separação tão brusca...

Belo texto.