segunda-feira, outubro 29, 2007

Talvez



Talvez não ser,
é ser sem que tu sejas,
sem que vás cortando
o meio dia com uma
flor azul,
sem que caminhes mais tarde
pela névoa e pelos tijolos,
sem essa luz que levas na mão
que, talvez, outros não verão dourada,
que talvez ninguém
soube que crescia
como a origem vermelha da rosa,
sem que sejas, enfim,
sem que viesses brusca, incitante
conhecer a minha vida,
rajada de roseira,
trigo do vento,

E desde então, sou porque tu és
E desde então és
sou e somos...
E por amor
Serei... Serás...Seremos...

Pablo Neruda

Foto:Georg Suturin

9 comentários:

Rômulo e Remo disse...

De todos os que já li é aqui que vou prender a minha tartaruga.
...«os pensamentos do teu íntimo chegam com muita facilidade à minha conciência.» DIA FELIZ para TI*

Rômulo e Remo disse...

Ai vai o(S) que está faltando.

Gi disse...

Lindíssimo. Este não conhecia e conheço tanto dele. Um beijinho

Paula Raposo disse...

Pois é. Deve ser assim. Talvez...

papagueno disse...

Será que eu sou quem eu sou?
Sei que é uma bela foto.
Beijinhos

Fatyly disse...

Lido m mal com o "Talvez e o nim":) mas este poema está lindissimo e a foto genial.
Como sempre és fantástica na escolha. Parabéns.

Beijos

Hindy disse...

Maravilhoso!

Beijinho hindyado

Alien8 disse...

Talvez, sim, Wind.

Bela imagem, também.

Bom resto de semana e um beijo.

Rebecca disse...

Lindissima.