domingo, outubro 07, 2007

O essencial é ter o vento



O essencial é ter o vento.
Compra-o; compra-o depressa,
A qualquer preço.
Dá por ele um princípio, uma ideia,
Uma dúzia ou mesmo dúzia e meia
Dos teus melhores amigos, mas compra-o.
Outros, menos sagazes
E mais convencionais,
Te dirão que o preciso, o urgente,
É ser o jogador mais influente
Dum trust de petróleo ou de carvão.
Eu não:
O essencial é ter o vento.
E agora que o Outono se insinua
No cadáver das folhas
Que atapeta a rua
E o grande vento afina a voz
Para requiem do Verão,
A baixa é certa.
Compra-o; mas compra-o todo,
De modo
Que não fique sopro ou brisa
Nas mãos de um concorrente
Incompetente.

Reinaldo Ferreira

Tela:Lévi-Dhurmer (The gust of wind) Retirada daqui

5 comentários:

Paula Raposo disse...

Mais um grande poema e uma fotografia extraordinária! Embora não aprecie no geral a escrita de Reinaldo Ferreira (já tinha dito, não tinha?)este poema está belíssimo...beijos.

PintoRibeiro disse...

Vim ver os amigos.
Bjinho Isabel,

Fatyly disse...

Este Reinaldo é incrível no que escreve e com ideias sempre geniais e o final é soberbo.

Beijos

Special K disse...

E tu j� h� muito que o tens n�o � Wind?
jinhos

Cris disse...

Teve uma vida cheia, foi um boémio e tinha um coração tão grande!
Ele era o melhor amigo do bisavô das minhas filhotas.
Mais do que amigos eram cúmplices nas palavras, na vida!

Parabéns!
Tal como me disseste há tempos, eu bem que queria fugir de me repetir, mas, já é lugar comum dizer do bom gosto que tens, Isabelinha :-)