terça-feira, janeiro 01, 2008

Bom 2008:)



Quem me acode à cabeça e ao coração
neste fim de ano, entre alegria e dor?
Que sonho, que mistério, que oração?
Amor.

Carlos Drummond de Andrade

Foto:Yuri Bonder

Um poema de Ano Novo de Levi Condinho

Ano Bom

Na noite de Ano Bom
iam os rapazes solteiros
para a casa de Santa Susana
pequeno e vetusto pardieiro
junto à capela de São Gregório Magno
aí se guardavam alfaias religiosas
lanternas de procissões andores bandeiras círios
foguetes sobrados da última festa
levavam vinho e pão
iscas de bacalhau algum chouriço sacado à chaminé
fritavam filhós e velhozes
bebiam púcaros de café de cevada
eram pobres e crédulos às vezes brigões
tratavam-se por alcunhas
discutiam Azevedo Travaços Peyroteu
Félix Rogério Ben David ou o Teixeira/gasogéneo
à meia-noite lançavam os foguetes da passagem
de um ano conformado à modéstia para outro seu igual
e depois percorriam as ruas escuras
esburacadas lamacentas
tocavam chocalhos campainhas harmónicas de beiços
cantavam desajeitadas loas
parando à porta de outros pobres ou remediados
meia dúzia de ricos
alguns são vivos mas a dureza das coisas
decerto os fez esquecer a velha Casa de Santa Susana

nessas noites de infância
algo se adivinhava diferente
para os meus atentos ouvidos
ecos de fantasmas na noite entre o encanto e o terror
dos sons pela noite distendida - a Rua Detrás ou os confins de tudo
rasgões musicais cicatrizes roucas nos primórdios
da madrugada enrolada no colchão de carregão e sumaúma.



Imagem daqui

Eu, desejo-vos o que quero para mim:

Paz e Saúde.



Foto:Wind

3 comentários:

Mário Relvas disse...

Fim do ano de 2007. Estamos em 2008.
Gostei muito do espectáculo - isto é uma espécie de fim-de-ano - na RTP1, protagonizado pelo "Gato Fedorento".
A irreverência e a humildade, de mãos dadas, brilharam.
Que este ano seja maravilhoso para todos vós, sem qualquer excepção.
Sonhem, porque o sonho comanda a vida. Sonhem amor, sonhem fartura de amizade e de beleza, de virtude entrelaçada em coisas insignificantes, mas, em permanente busca do caminho da boa vontade, e, em prol do bem-estar das populações de todo o mundo.
Que as ideias de cada um, não turve a amizade, e que, reciprocamente nos aceitemos, nas diferenças da vida, nas opiniões, nas certezas cheias de nada.
Só juntos poderemos melhorar o mundo.
Caminhemos... sonhando!

Fatyly disse...

Retribuo em dobro e que 2008 seja o ano em que a mudança positiva se instale em ti, em nós, em Portugal e no mundo.

Um abraço do tamanho de um embondeiro:)****

Paula Raposo disse...

O Condinho foi meu colega no banco. Conheci-o em 1975 e li muita poesia dele! Adorei ter tido a oportunidade de o ler aqui.