terça-feira, janeiro 15, 2008

Apontamento de física etérea



Se o que chamas liberdade dói em mim
não se diz cataclismo ou tempestade.

(é questão mais delicada.)

tem a ver com o modo como cada um
sente e depreende o seu sentir

o que me faz relembrar einstein e a sua
teoria da relatividade:

(se me dói quão tola eu sou.
se tu ris é que és feliz.)

e onde fica o cuidar do sentimento nessa
singular aplicação de tão nobre teoria?

(se fortalece ou agoniza?)

alheio a nós dormita leve em algum ponto
do caminho que nos une e distancia.

Márcia Maia

Foto:Yuri Bonder

2 comentários:

Paula Raposo disse...

Gostei da foto que condiz com o título!!

Isabel-F. disse...

Olá Wind,

Mais um belo poema ...

gostei de ler
:::::::::::::::::::::::::::::


tens um prémio lá no meu sítio. podes ir buscá-lo sff

beijinhos