quinta-feira, janeiro 03, 2008

Até quando terás, minha alma, esta doçura



Até quando terás, minha alma, esta doçura,
este dom de sofrer, este poder de amar,
a força de estar sempre – insegura – segura
como a flecha que segue a trajetória obscura,
fiel ao seu movimento, exata em seu lugar...?

Cecília Meireles

Foto:Yuri Bonder

4 comentários:

Nilson Barcelli disse...

Pois... esse dom é bom, mas às vezes é importante alterar a trajectória da flecha...
Gosto dos poemas da Cecília Meireles, alguns dão que pensar...
Beijinhos

Alves Rosa disse...

Olá,
sou do Brasil e visito seu blog há algum tempo e sempre paro para ler aqui, mas nunca comentei.
Sempre com belas poesias e fotos igualmente belas.
Parabéns para voces duas.

andorinha disse...

Não conhecia a Cecília Meireles.
Gostei muito do poema.
E da foto, também:)
Beijos

Fatyly disse...

Subscrevo as palavras de Nilson...há que mudar a trajectória do que nos atrofia os sentidos.

Um belo momento de leitura e obrigado.

Beijos e muitaaaaaaaaaaa forçaaaaaaaa:)