segunda-feira, setembro 24, 2007

Invento-te



Invento-te
Invento-me
Sem formas
Nem cor
Nem perfis
Nem tela!

Nós dois...
Esculpidos
No silêncio de uma praia
Que a anarquia do mar
Afaga e flagela!

Invento-te

Barco transparente
Em indecisos traços
Adivinhando
Ais libidinosos
No sexo da água
Em que me torno
Ousada ondulada bela
A estremecer
Quando de manso
Me rasga capitosa
A volúpia acerada
De uma vela...

Julieta Lima

Foto:Zacarias Pereira da Mata

6 comentários:

Paula Raposo disse...

Um sensual poema!

sonia r. disse...

Bela fotografia Wind.
Uma boa semana e bjinhos.

Hindy disse...

Muito sensual...

Boa semana e beijinho hindyado

peciscas disse...

No amor, há sempre uma certa dose de invenção, de fantasia!

Fatyly disse...

Quem ama é bem imaginativo. Poema e foto 5 *****

Beijocas

maria fro disse...

Olá vc sabem por onde anda essa grande poeta Julieta Lima?
Muito a admiro e queria notícias
abraços
frô