segunda-feira, abril 11, 2011

O desejo do corpo é entrar em si mesmo



O desejo do corpo é entrar em si mesmo
e de onda em onda ser uma onda só
que se liberta de todas as amarras
e abre as suas rígidas comportas

Longo subtil e macio é esse gozo
de um túmido movimento que desagua no delta
da nudez extrema em que o corpo encontra
o seu próprio corpo como se fosse um outro

A palavra não pode encontrar-se a si mesma
como se fosse de si mesma outra
porque ela não é um corpo e mesmo quando se despe
a sua nudez é só o anúncio de um corpo inatingível.

António Ramos rosa

Imagem retirada do Google

3 comentários:

Observador disse...

Muito havia para dizer sobre o desejo do corpo.
Mas António Ramos Rosa já disse bastante.

;)

Paula Raposo disse...

E essa é a verdade da nudez. Gostei.

Fatyly disse...

Imensamente belo e sonante. Gostei imenso!

Beijocas