terça-feira, junho 10, 2008

Cumplicidade



No teu olhar circunspecto
contemplo uma alma triste,
disfarçadamente triste,
contida,
sem asas para alçar vôo
sem ímpeto para lançar-se no destino.

Quisera poder retribuir com outro olhar
mas os meus olhos melancólicos
são apenas cúmplices da vida,
nada mais!

Germano Rocha

Foto:Yuri Bonder

6 comentários:

scaramouche disse...

lindissimo.
obrigado pela partilha.
abraço,
scaramouche.

Menina_marota disse...

Há no olhar de cada um, um reflexo da sua alma, que mesmo sem o saber, partilha tantas vezes...

Bela escolha, a da imagem a condizer com o poema...

Grata por aqui partilhares estes momentos.

Um abraço e continuação de bom feriado ;)

peciscas disse...

Melancólico mas belo, este momento!

Lola disse...

Wind,

Há olhares tristes que apetece abraçar.

Beijos

Dois Rios disse...

O olhar é a janela da alma. Por ele é possível indentificar alegria, dor, paixão, prazer, etc. Todas as emoções passam pelo olhar.

Abs,
Ayan

Paula Raposo disse...

Bonito poema disfarçadamente triste...