quarta-feira, março 13, 2013

Sombras



Lembro a tua forma esguia
como a chama de uma vela,
fogo que tremeluzia,
luz que as sombras alongava.

Era noite.
A ventania
batia forte à janela.

Sei que o teu corpo tremia,
sei que o teu corpo queimava
e que ao nascer do novo dia
ainda a noite brilhava.

Manuel Filipe, in"À Beira de Cesário", pág.11

Imagem retirada do Google

4 comentários:

Ricardo Meneses disse...

«Sei que o teu corpo tremia,
sei que o teu corpo queimava
e que ao nascer do novo dia
ainda a noite brilhava.»

Simplesmente, lindo!

Beijinho e bom resto de semana!

Observador disse...

Muito interessante.

Bj

FireHead disse...

Um corpo que tremia e queimava? Só pode ser tremideira por causa do medo de se queimar. :P

Fatyly disse...

Este poema é simplesmente belo!

Beijocas