sábado, março 23, 2013

Chiado



O balão soltou-se da mão do menino,
em contraste vermelho
com o céu azul.

Cruzou as vigas metálicas
de Santa Justa
perturbando os pombos lentos
e o seu voo agonizante
ao sol mortífero.

Por um instante
todos os olhares se uniram
todos os pensamentos
ficaram presos por um fio.

Manuel Filipe, in"À Beira de Cesário", pág.26

Imagem retirada do Google

5 comentários:

Fatyly disse...

Este poema está delicioso.

Beijos e bom fim de semana

Observador disse...

Manuel Filipe conhece bem Lisboa.

Bjs

FireHead disse...

E não há nenhum poema dele com o título "Martim Moniz"? Seria engraçado saber se seria capaz de descrever aquela realidade típica de um submundo, daquela localidade... :)

wind disse...

Acho que há,amanhã já vejo:)

Lou Salomé disse...

Um instante captado na esquina improvável da palavra...
Gostei! :)
Um beijinho da nova seguidora
PS - E convido-o a reciprocar