sexta-feira, novembro 09, 2012

Estranhamente



Transmitimos o desprezo
através de uma língua obscura
que faz crescer o silêncio

e por sua vez o silêncio propaga-se
nesse mais que obscuro desprezo
que tantas vezes nos detém a língua,

mas a poesia
obscura língua desprezada
nasce estranhamente do silêncio.

Manuel Filipe, in"Via de Curetes", pág. 49, Edição do Autor

Imagem retirada do Google

3 comentários:

Paula Raposo disse...

Gostei deste jogo de palavras. Beijos.

Observador disse...

Gostei do que li.

Beijo

Fatyly disse...

Este é um dos meus preferidos do livro da Manuel Filipe que é para ir lendo e relendo...em silêncio.

Beijocas amiga