quinta-feira, fevereiro 03, 2011

Vimos chegar as andorinhas



Vimos chegar as andorinhas
conjugarem-se as estrelas
impacientarem-se os ventos

Agora
esperemos o verão do teu nascimento
tranquilos, preguiçosos

Tão inseparáveis as nossas fomes
Tão emaranhadas as nossas veias
Tão indestrutíveis os nossos sonhos

Espera-te um nome
breve como um beijo
e o reino ilimitado
dos meus braços

Virás
como a luz maior
no solstício de Junho.

Rosa Lobato de Faria

Imagem retirada do Google

3 comentários:

Observador disse...

Muito bonito.

Roberta disse...

Poema de indefensável beleza, que nos pede sempre mais do mergulho e do encantamento.

Fatyly disse...

Esta poetisa descrevia o "nascimento" de uma forma lindissima!

Beijocas