segunda-feira, fevereiro 28, 2011

Apenas uma boca. A tua boca



Apenas uma boca. A tua boca
Apenas outra, a outra tua boca
É Primavera e ri a tua boca
De ser Agosto já na outra boca

Entre uma e outra voga a minha boca
E pouco a pouco a polpa de uma boca
Inda há pouco na popa em minha boca
É já na proa a polpa de outra boca.

Sabe a laranja a casca de uma boca
Sabe a morango a noz da outra boca
Mas sabe entretanto a minha boca

Que apenas vai sentindo em sua boca
Mais rouca do que a boca a minha boca
Mais louca do que a boca a tua boca

David Mourão-Ferreira

Imagem retirada do Google

5 comentários:

Anna Amorim disse...

A boca que conjuga o verbo amar, ama.
Na poesia eterniza o amor.

Beijos e ótima semana

Fatyly disse...

A força de amar. Gostei!

Beijocas e um bom dia

Paula Raposo disse...

Fantástico jogo de palavras!!!
Beijos.

Observador disse...

Esectacular soneto de Mourão-Ferreira.

O morango ... faz crescer água na boca.

Bjs

Maria G. disse...

David Mourão Ferreira e a sua "Música de Cama", o jogo das palavras, o erotismo e sobretudo a qualidade de uma poesia única.

M.G.