quinta-feira, outubro 28, 2010

Poema de agradecimento à corja



Obrigado, excelências.
Obrigado por nos destruírem o sonho e a oportunidade
de vivermos felizes e em paz.
Obrigado
pelo exemplo que se esforçam em nos dar
de como é possível viver sem vergonha, sem respeito e sem
dignidade.
Obrigado por nos roubarem. Por não nos perguntarem nada.
Por não nos darem explicações.
Obrigado por se orgulharem de nos tirar
as coisas por que lutámos e às quais temos direito.
Obrigado por nos tirarem até o sono. E a tranquilidade. E a alegria.
Obrigado pelo cinzentismo, pela depressão, pelo desespero.
Obrigado pela vossa mediocridade.
E obrigado por aquilo que podem e não querem fazer.
Obrigado por tudo o que não sabem e fingem saber.
Obrigado por transformarem o nosso coração numa sala de espera.
Obrigado por fazerem de cada um dos nossos dias
um dia menos interessante que o anterior.
Obrigado por nos exigirem mais do que podemos dar.
Obrigado por nos darem em troca quase nada.
Obrigado por não disfarçarem a cobiça, a corrupção, a indignidade.
Pelo chocante imerecimento da vossa comodidade
e da vossa felicidade adquirida a qualquer preço.
E pelo vosso vergonhoso descaramento.
Obrigado por nos ensinarem tudo o que nunca deveremos querer,
o que nunca deveremos fazer, o que nunca deveremos aceitar.
Obrigado por serem o que são.
Obrigado por serem como são.
Para que não sejamos também assim.
E para que possamos reconhecer facilmente
quem temos de rejeitar.

Joaquim Pessoa

Imagem retirada do Google

3 comentários:

Observador disse...

O poema está recheado de verdades.
Mas faltam muitas fotos para que a verdade fique completa.

;)

Fatyly disse...

Um poema cheio de verdades, a mesma "corja" que "ontem" fizeram doer e "hoje" aprendeu-se alguma coisa? Estaremos dentro da política para saber separar o trigo do joio?

Palavras de um mestre de outros tempos que renasceu das cinzas...

Do painel da actual corja que apresentas, tiro dois ministros que admiro muito, pelo muito que têm feito ao longo dos anos! O resto? borda fora!

Beijocas e um bom serão...vou agorinha p´ro ninho e amanhã se Deus quiser terminará o SOS avó:))))

Paula Raposo disse...

Concordo inteiramente!