sábado, outubro 23, 2010

Há dias



Há dias em que julgamos
que todo o lixo do mundo
nos cai em cima
depois ao chegarmos à varanda avistamos
as crianças correndo no molhe
enquanto cantam
não lhes sei o nome
uma ou outra parece-me comigo
quero eu dizer :
com o que fui
quando cheguei a ser luminosa
presença da graça
ou da alegria
um sorriso abre-se então
num verão antigo
e dura
dura ainda.

Eugénio de Andrade

Imagem retirada do Google

3 comentários:

Observador disse...

É.
Há dias assim.

Bj

Fatyly disse...

Tal e qual e há que fazer durar "esse sorriso". Um poema lindo!

Beijocas e um bom sábado

Paula Raposo disse...

Delicioso de ternura! Beijinhos.