sábado, julho 10, 2010

A mão torturada por um olhar



Somos duas chamas ardentes,
somos duas estrelas cadentes.
Somos como cão e gato,
como um ser inadaptado
com vontade de viver
e condenados a amar.
A mão torturada por um olhar
um lírio e uma margarida
amando-se, sem deixar de
abrir a cúpula de uma ferida
sentida e de vida sofrida.
No entanto, a sereia canta como
lira de Orfeu para aliviar
a alma do seu amor ateu...

Tília Ramos

Imagem retirada do Google

1 comentário:

Observador disse...

Muito bonito.
E cheio de significado.

Bjs