segunda-feira, junho 07, 2010

Alegre sacrifício



(...)

estranho bulício
o das crianças que brincam
-incitam as vagas que avançam como alcateias-
e oferecem, em alegre sacrifício,
os seus castelos erguidos nas areias
ao caprichoso mar,
às súbitas sereias...

(...)

Manuel Filipe in"Medusa", pág.29, Edição do Autor

Imagem retirada do Google

7 comentários:

Fatyly disse...

Um grande poeta e este poema é lindissimo!

Beijocas e um bom dia

polittikus disse...

Belo poema. Não conhecia...

Paula Raposo disse...

Eu também gostava de fazer castelos com os baldes cheios de areia molhada...
Beijos.

Amélia disse...

Gistaria muito de ter o poema todo.Será possível?
Abraço

Observador disse...

Lindo!
Embora parcial, diz muito.

wind disse...

O poema no livro está assim.
Não posso fazer nada:)

Nilson Barcelli disse...

Uma visão infantil muito poeticamente adulta.
Excelente escolha.
Querida amiga, boa semana.
Beijos.