terça-feira, outubro 01, 2013

Sou o Espírito da treva

Sou o Espírito da treva,
A Noite me traz e leva;
Moro à beira irreal da Vida,
Sua onda indefinida
Refresca-me a alma de espuma...
Pra além do mar há a bruma...
pra aquém?  Cousa ou Fim?
Nunca olhei para trás de mim...

Fernando Pessoa

Imagem retirada do Google

4 comentários:

Observador disse...

Não gosto de ouvir falar em trevas.
O que terá levado FP a escrever isto?

Bjs

wind disse...

FP era uma alma atormentada...

Fatyly disse...

Os fantasmas sofridos de Fernando Pessoa e lá teria as suas razões...mas há uma dose de poesia dele que é doentia...tal como esta.

Beijocas amiga

FireHead disse...

Lá estava o homem de novo com os copos quando escreveu. :)