quinta-feira, outubro 17, 2013

Rua Suja



Caminhando perdido que nem um louco
Caminho perdido na rua sem ti
Também ela perdida,
Suja, sem nexo
Um espaço sem confins
O último recanto do mundo
Caminho sem saber para onde vou
Onde ficar e com quem estar
Caminho nebuloso me conduz ao destino
Sem ti, uma vez mais,
Para percorrer um caminho de mãos dadas
Até que as rosas se reduzam a cinzas
Que jazem no chão, brilhantes, na rua suja
Procurando a imagem que desvanecera
A tua imagem, o meu motivo,
A loucura, o sentido, a razão de viver
A caminhar sem fim
Nesta rua, enfim
Sozinho que nem um louco perdido
Sem ti, sem ninguém, cai a noite
Cai a chuva também
Molhando os meus moribundos passos
Empurrando-me para o outro lado
Da rua, a mesma
À porta da tua casa
Continuo perdido
E perdido continuarei até me encontrar
Fazendo diluir a tua falta
Quando isso finalmente acontecer
Terei encontrado o caminho para casa.


Imagem retirada do Google

5 comentários:

FireHead disse...

Onde é que eu já li isto? :P

Fatyly disse...

Já tinha lido e voltei a reler e só posso dizer: Sentido, sofrido e tão real!

Esse menino tem imenso jeito e um coração do tamanho do mundo que teimosamente diz não ter hehehehehe

Beijocas

FireHead disse...

Gostei da tua interpretação, Fatyly. Mas asseguro-te que não foi real. :P

Os poetas são finjidores, já dizia o Pessoa... :)

wind disse...

Fatyly, não é por acaso que comecei a "discutir" com ele e depois lhe dei tréguas.lololol

Fatyly disse...

É isso amiga, eu fiz o caminho inverso, piquei, discuti, espicacei sempre com uma postura de...naaaaannn não és tãoooo assim...e descobri o que disse :)

Fire
um poema ou quer que seja feito pelo autor tem um sentido, mas lido por dez poderá suscitar dez sentidos diferentes deixando ser do autor, entre aspas, e a passar a ser dos leitores. Certo?

Quando digo "tão real" diz-me lá se não é o retrato de tanta gente que conhecemos ou até de passagem e vemos versus sentimos isso? A tal sensibilidade poética hem? Nunca concordei com Pessoa, não são fingidores, porque quem escreve pode estar naquele momento a viver esse estado de alma e mal acabou...passou. ok?

De forma alguma sou especialista em poesia, baseio-me apenas no que sinto e gosto ou não e dou a minha opinião.

Nunca desistas pá:)