sexta-feira, outubro 11, 2013

Onde os lábios


Os lábios.
Distante, arrefecida chama.
Não só os lábios, também as estrelas
são distantes.
E os bosques. E as nascentes.
Também as nascentes são distantes.
As nascentes onde os lábios,
onde as estrelas bebem..
Só o deserto é próximo, só
deserto.

Eugénio de Andrade

Imagem retirada do Google

6 comentários:

FireHead disse...

O Eugénio de Andrade escrevia como ninguém. Na verdade, e falo por mim, penso que é mais fácil ser poeta numa língua como a portuguesa, que é muito rica, não apenas de vocabulário como também de sentido. :)

Observador disse...

Um bom pedaço de escrita em meia dúzia de linhas.

Beijos

JP disse...

Um Eugénio, poeta de eleição, no seu melhor....

Beijinho

Jota Effe Esse disse...

Belos versos, que merecem reflexão. Deixo aqui meu convite para que visites meu post A BUSCA DO NIRVANA. Meu abraço.

Fatyly disse...

Genial...como sempre!

Beijocas

Nilson Barcelli disse...

Só o deserto é próximo...
Quanta profundidade.
Isabel, querida amiga, desejo-te um bom fim de semana.
Beijos.