domingo, fevereiro 03, 2013

Talvez



Talvez não ser,
é ser sem que tu sejas,
sem que vás cortando
o meio dia com uma
flor azul,
sem que caminhes mais tarde
pela névoa e pelos tijolos,
sem essa luz que levas na mão
que, talvez, outros não verão dourada,
que talvez ninguém
soube que crescia
como a origem vermelha da rosa,
sem que sejas, enfim,
sem que viesses brusca, incitante
conhecer a minha vida,
rajada de roseira,
trigo do vento,

E desde então, sou porque tu és
E desde então és
sou e somos...
E por amor
Serei... Serás...Seremos...


Pablo Neruda

Imagem retirada do Google

6 comentários:

Fatyly disse...

E por amor
Serei...Serás...Seremos...

Não conhecia e fiquei encantada, que poema maravilhoso!

Beijos e um bom domingo

Nilson Barcelli disse...

Grande poema.
Isabel, tem um bom domingo e uma boa semana.
Beijo.

Ricardo Meneses disse...

Adoro este poema, I !

Beijinho e boa semana!

black angel disse...

serei?
serás? serenos
seremos

Observador disse...

Gosto muito.

Bj

FireHead disse...

Pablo Neruda é excelente. Não é por acaso que muita gente gosta dele.