terça-feira, fevereiro 19, 2013

As rosas



Quando à noite desfolho e trinco as rosas
É como se prendesse entre os meus dentes
Todo o luar das noites transparentes,
Todo o fulgor das tardes luminosas,
O vento bailador das Primaveras,
A doçura amarga dos poentes,
E a exaltação de todas as esperas.


Sophia de Mello Breyner Andresen

Imagem retirada do Google

4 comentários:

Ricardo Meneses disse...

Bonito!

Boa semana e um beijinho, cara amiga!

Fatyly disse...

Encantador como sempre!

Beijocas

Observador disse...

Não consigo não gostar de Sophia.

Bj

FireHead disse...

A mãe do Miguel Sousa Tavares. Coitada! :P