sábado, fevereiro 06, 2010

"...Se viesses ver-me à tardinha..."



Gosto da pose da Florbela.
A Espanca.
Deitada num canapé
Aguardando triste e lânguida
Um amor que não chegava.
Já ensaiei a pose
Mas...Não me fica bem.
Certamente é do sofá...
Tenho de comprar um mais apropriado para me recostar
E dizer calmamente, suspirando
Anelante:
"...Ai, se viesses ver-me à tardinha..."
Eu, quando espero
Espero de pé a bater o pé
E impaciente digo:
-Vê lá se te despachas!
Ah como eu gostava de ser como a Florbela.
A Espanca.
E esperar-te calma e lânguida
Em poses de canapé.

Encandescente, in"Palavras Mutantes", pág.28, Edições Polvo

Pintura retirada do Google

4 comentários:

rabina disse...

...eu ficava contentinha...

Mocho Falante disse...

sem dúvida original, e muito bonito, numa perfeita homenagem à poetisa

beijocas doces

Fatyly disse...

que saudades desta poetisa. Este poema está o máximo e também a espero ve-la de novo por aqui mas jamais na pose da Espanca:)

Beijocas e um bom sábado:)

polittikus disse...

Já conhecia este poema, creio que foi editado há muito tempo na primeiro blog da autora ainda no sapo.