sexta-feira, abril 12, 2013

Meia-luz



Rua de luz baça.
Só borboletas da noite,
o gato que passa...

Um cego na viela,
com o futuro feito cão
na ponta da trela.

Tremo, fujo de lado,
mas a sombra que se alonga
é de um telhado.

O velho mocho pia.
Que outras pupilas abraçaram
tantas estrelas?

Manuel Filipe, in "À Beira de Cesário", pág. 58

Imagem retirada do Google

3 comentários:

Observador disse...

Bonito, sem dúvida.

Diz-me uma coisa: trata-se de uma pintura, certo?
Muito bem feita.

Bj

wind disse...

Não sei se é pintura, parece-me mais uma foto com muito trabalho por cima.

Fatyly disse...

Excelente poema e uma foto com uma força brutal.

Beijocas