quarta-feira, dezembro 28, 2011

Meus olhos verdes



Eu sonho acordado
muitas vezes sem dar por isso
olhando o infinito
através dos meus olhos verdes
nem sempre verdes é certo
às vezes azuis
outras cinzentos
variando durante o dia
conforme a intensidade da luz
do sol ou das estrelas
passando a verde se escuto
- o silêncio do mar longo e profundo
e o canto das cigarras
em noite cheia de lua

cinzento é um tempo de ninguém
vindo de fora sem prever

azul o rosto da manhã
de um instante de saudade escrito na memória

verde a força que deposito
no amor e me alimenta o coração

os meus olhos são verdes
azuis ou cinzentos ?
a mim pouco importa
aos outros também

verde é simplesmente
a cor do momento
- um símbolo de esperança
sortilégio de olhar
e ver o mundo
em mais um dia que vivo
e sinto

João-Maria Nabais

Imagem retirada do Google

6 comentários:

Observador disse...

Mais um desconhecido - para mim - que entra nas minhas leituras via internet e pelo blogue da Isabel.

Olhos verdes ou com lentes de contacto a condizer?

Bj

mfc disse...

Lindíssimo poema...e foto!

Fatyly disse...

Um poema maravilhoso e fiquei deliciada porque não conhecia.

Beijocas

Nilson Barcelli disse...

Gostei, mas não conheço o autor.
Querida amiga, tem um excelente 2012.
Beijos.

Paula Raposo disse...

Gostei destes olhos verdes e identifiquei-me mesmo! Beijos, Isabel, bom ano.

Mariana disse...
Este comentário foi removido pelo autor.