sexta-feira, maio 06, 2011

Va pensiero ...

Aconteceu no mês passado e foi um momento inesquecível. Riccardo Muti acabara de reger o célebre coro dos escravos, Va pensiero, do terceiro acto de Nabucco, e o público do Teatro da Ópera de Roma, aplaudia incessantemente e bradava bis! (Cabe lembrar que, para além de sua intrínseca beleza, que é inexcedível, o VA PENSIERO foi também uma espécie de hino informal dos patriotas do Risorgimento e daí o enorme apelo emocional que preservou entre os italianos.) Que faz, então, Ricardo Mutti? Volta-se para a plateia e, depois de recordar o significado patriótico do Va pensiero, pede ao público presente que o cante agora, com a orquestra e o coro do teatro, como manifestação de protesto patriótico contra a ameaça de morte contida nos planeados cortes do orçamento da Cultura. Lá como cá, os governantes, DESPREZAM a Cultura...


É este o link do vídeo que registou este acontecimento memorável:

http://youtu.be/G_gmtO6JnRs

Va Pensiero

Va', pensiero, sull'ali dorate.

Va', ti posa sui clivi, sui coll,

ove olezzano tepide e molli

l'aure dolci del suolo natal!

Del Giordano le rive saluta,

di Sionne le torri atterrate.

O mia Patria, sì bella e perduta!

O membranza sì cara e fatal!

Arpa d'or dei fatidici vati,

perché muta dal salice pendi?

Le memorie del petto riaccendi,

ci favella del tempo che fu!

O simile di Solima ai fati,

traggi un suono di crudo lamento;

o t'ispiri il Signore un concento

che ne infonda al patire virtù

che ne infonda al patire virtù

al patire virtù!

Da ópera Nabucco de Verdi

Vai, pensamento, sobre as asas douradas

Vai, e pousa sobre as encostas e as colinas

Onde os ares são tépidos e macios

Com a doce fragrância do solo natal!

Saúda as margens do Jordão

E as torres abatidas do Sião.

Oh, minha pátria tão bela e perdida!

Oh lembrança tão cara e fatal!

Harpa dourada de desígnios fatídicos,

Porque choras a ausência da terra querida?

Reacende a memória no nosso peito,

Fala-nos do tempo que passou!

Lembra-nos o destino de Jerusalém.

Traz-nos um ar de lamentação triste,

Ou o que o senhor te inspire harmonias

Que nos infundam a força para suportar o sofrimento.

PS:Recebido por email.

PS2:Desligar o som do blog no lado direito.

3 comentários:

Fatyly disse...

Lá como cá, os governantes, DESPREZAM a Cultura...
..................
o que me dá uma raiva tremenda!

Imensamente comovida e porque gosto desta música tão emblemática...ADOREI e muito obrigado por este momento tão belo!

Beijocas e um bom dia

Luis Milhano disse...

Ao tempo que aqui não vinha... Mas cheguei em hora oportuna e partilhei o texto e o vídeo na minha Página do Facebook. Agradeço a sua partilha.

Desejo-te tudo de bom.

Bjs.

Observador disse...

Há outros interesses para além da cultura e do espectáculo.