terça-feira, maio 31, 2011

Não canto porque sonho



Não canto porque sonho.
Canto porque és real.
Canto o teu olhar maduro,
O teu sorriso puro,
A tua graça animal.

Canto porque sou homem.
Se não cantasse seria
somente um bicho sadio
embriagado na alegria
da tua vinha sem vinha.

Canto porque o amor apetece.
Porque o feno amadurece
nos teus braços deslumbrados.
Porque o meu corpo estremece
Por vê-los nus e suados.

Eugénio de Andrade

Imagem retirada do Google

5 comentários:

Evanir disse...

Muito feliz da vida encontrei seu blog.
Seus poemas são belissimos.
Eu estou deixando um convite para conhecer o meu .
beijos no coração,Evanir.
www.aviagem1.blogspot.com

Observador disse...

Muito bonito, Wind.

Paula Raposo disse...

Magnífico poema! Beijos.

RSM disse...

Sem palavras, aliás, como Eugénio de Andrade sempre me deixa!

Boa semana para si!

Fatyly disse...

Imenso belo e preenchente e a imagem está linda.

Beijocas