segunda-feira, abril 27, 2009

A Ministra, o líder (A Ministra, vista por Bocage)



BAIXA, DE OLHOS RUINS, AMARELENTA
Usando só de raiva e de impostura,
Triste de facha, o mesmo de figura,
Um mar de fel, malvada e quezilenta ;

Arzinho confrangido que atormenta,
Sempre infeliz e de má catadura,
Mui perto de perder a compostura,
É cruel, mentirosa e rabugenta.

Rosto fechado, o gesto de fuinha,
Voz de lamento e ar de coitadinha,
Com pinta de raposa assustadinha,
É só veneno, a ditadorazinha.

Se não sabes quem é, dou-te uma pista:
Prepotente, mui gélida e sinistra,
Amarga, matreira e intriguista,
Abusa do poder... e é MINISTRA.

Quem é?

PS:Recebido por email e desconheço o/a autor/a da adaptação.

Imagem daqui

5 comentários:

Alien8 disse...

Wind,

:)))

Um beijo.

Fatyly disse...

Este poema foi censurado no tempo da outra senhora, é duuuuuuuuu Bocage :) julgo que tem o título:
"Adivinha" e no final termina com uma pergunta: "Quem é?".

Sempre adaptável a várias figuras e esta está o máximo ahahahahahah

ADOREIIIIIIIIIII:)

Beijocas e um bom dia

Paula Raposo disse...

Uma adaptação excelente!! Quem é??? Beijos.

peciscas disse...

Ui! Se a Lulu descobre este cantinho, ainda te manda com um processo para cima.
Mas ela até já conhece esta adaptação que circula por aí há uns tempos.

Menina_marota disse...

AHAHAHAH Não posso evitar rir-me sempre que leio esta adaptação!

Mas nem assim lá vai... :(((