quarta-feira, novembro 06, 2013

Canção desesperada



Nem os olhos sabem que dizer
a esta rosa de alegria,
aberta nas minhas mãos
ou nos cabelos do dia.

O que sonhei é só água:
água ou só rumor do frio.
Nenhuma rosa cabe nesta mágoa.
Dai-me a sombra de um navio!


Eugénio de Andrade

Imagem retirada do Google

2 comentários:

FireHead disse...

Já dizia o outro que a vida não é um mar de rosas, e mesmo que ela fosse um mar de rosas, as rosas por mais bonitas que sejam têm espinhos!

Fatyly disse...

Gostei...embora triste!

Beijocas