quarta-feira, julho 11, 2012

Sobre a terra



Sei que estou vivo e cresço sobre a terra. 
não porque tenha mais poder, 
nem mais saber, nem mais haver. 
Como lábio que suplica outro lábio, 
como pequena e branca chama 
de silencio, 
como sopro obscuro do primeiro crepúsculo, 
sei que estou vivo, 
vivo sobre o teu peito, 
sobre os teus flancos, 
e cresço para ti. 


Eugénio de Andrade


Imagem retirada do Google

3 comentários:

Fatyly disse...

Gostei imenso e agora vou para o trabalho de avó com as pilhas carregadas:)

Beijocas

Observador disse...

Só escolhes coisas bonitas, o que é que queres que diga?

:)

Bj

Paula Raposo disse...

Maravilha!