terça-feira, julho 12, 2011

O ar dentro do grito



Exerce sobre mim todos os teus poderes,
os mais avassaladores e brutais,
os que deixam na carne a marca sem resgate
de uma morte prometida em cada gesto
e dá-me a perceber que
sempre que te toco é, afinal, o fogo
que estou a tocar, como se quisesse
bordar um monograma de lava
no lenço que cala o queixume dos lábios.
Deixa-me dos teus poderes
somente um rumor ou um aroma,
a inexprimível tentação que os faz
serem tão perenes e secretos,
tão sôfregos de entrega e infinito,
e depois derrota-me na arena
dos teus braços como tenazes de vento
sufocando nesta boca
o sopro que aprisiona o ar dentro do grito.

José Jorge Letria

Imagem retirada do Google

2 comentários:

Fatyly disse...

Potente e imensamente sonante. Não conhecia e gostei imenso!

Beijocas

eu disse...

e por fim eu faço-me de ti !