segunda-feira, agosto 25, 2008

Desafio



Giro o carrossel
loucamente
giro giro giro
e gira a luz dourada da lua
que cai sobre o mar
mansamente
em ondas que levam
num passeio enlouquecedor
meu coração,
ora agonizante,
ora hilariante,
ora bolas, afinal
horas passam
arrastando os ponteiros dos relógios.
Em surdina escuto zumbidos
com os olhos fixos na escuridão,
oh, decepção!
estou só na solidão
mas não me intimido não,
tudo no meu íntimo é fantasia
alegorias na avenida,
empunhando o estandarte
sacudo o pó cinzento
cimento da melancolia,
não quero ser
apenas mais um mártir de ocasião.

Germano Rocha

8 comentários:

Fatyly disse...

Não conhecia e achei-o fantástico:)

Carrocéis propriamente ditos: não gosto:)

Uma beijoca

Paula Raposo disse...

Gostei deste carrossel....

Clarinda Galante disse...

Hoje neste pedaço da minha manhã , passei momentos maravilhosos lendo-te. Obrigada por eles

papagueno disse...

Lindo, mas fico tonto de tanto girar.
beijos

peciscas disse...

A vida é como um carrossel.
Fantasias, sonhos, mas também tonturas,efemeridade, aparências.
Mas, enquanto dura a ilusão, tudo é cor e festa.

Mocho Falante disse...

Adorei o ritmo e este jogo de palavras...está soberbo...sempre a surpreender a malta com esta poesia toda que só tu conheces,,,

beijocas

António Baeta disse...

Pois é, só que esta foto é minha e foi retirada do meu blog sem referência ao local e seu autor, o que é muito feio.

wind disse...

Este post tem 3 anos.
Peço desculpa pela foto, mas tirei-a do Google e lá não vinha o autor.