terça-feira, julho 01, 2008

Madrigal



Tu já tinhas um nome, e eu não sei
se eras fonte ou brisa ou mar ou flor.
Nos meus versos chamar-te-ei amor.

II

Cantas. E fica a vida suspensa.
É como se um rio cantasse:
em redor ´tudo teu;
mas quando cessa o teu canto
o silêncio é todo meu.

Eugénio de Andrade

Foto:Patrick Di Fruscia

6 comentários:

su disse...

Eugénio de Andrade. Muito bom gosto. E foto extremamente bela.

:)))

Fatyly disse...

Tenha felicidade bastante para fazê-la doce. Dificuldades para fazê-la forte. Tristeza para fazê-la humana. E esperança suficiente para fazê-la feliz. As pessoas mais felizes não têm as melhores coisas, elas sabem fazer o melhor das oportunidades que aparecem em seus caminhos.
.............
Bem verdade, bem verdade e nada como pensar e tentar.

Adorei

Beijos e clica no meu nome:)

papagueno disse...

Lindíssimo este poema do Eugénio.
Bjks

jasmimdomeuquintal disse...

e não fosse Eugénio de Andrade...

peciscas disse...

mas quando cessa o teu canto
o silêncio é todo meu
.

Que coisas bonitas sabia dizer o Eugénio.

Paula Raposo disse...

Mestre Eugénio de Andrade fatalmente superior!! A foto está lindamente bem escolhida, Isabel!