terça-feira, junho 25, 2013

Homenagem a Federico García Lorca



Dormir um pouco — um minuto,
um século. Acordar
na crista
duma onda, ser
o lastro de espuma
que há no sono
das algas. Ou
ser apenas
a maré, que sempre
volta
para dizer: eu não morri, eu sou
a borboleta
do vento, a flor
incandescente destas águas.

Albano Martins


Visto na Eli

Imagem retirada do Google

4 comentários:

FireHead disse...

Bonito poema! Mas, já agora, quem é o Federico Garcia Lorca?

Fatyly disse...

Um bela homenagem a esse poeta e dramaturgo espanhol. Gostei imenso!

Beijocas e um BOM DIA!

Observador disse...

O Albano faz uma homenagem interessante a Frederico.

E a borboleta é muito gira.

Bj

Nilson Barcelli disse...

Belíssima escolha.
Porque é um excelente poema/homenagem.
Isabel, tem um bom resto de semana.
Beijo.