quinta-feira, janeiro 24, 2013

Pensar em Deus é desobedecer a Deus


Pensar em Deus é desobedecer a Deus,
Porque Deus quis que o não conhecêssemos,
Por isso se nos não mostrou...
Sejamos simples e calmos,
Como os regatos e as árvores,
E Deus amar-nos-á fazendo de nós
Belos como as árvores e os regatos,
E dar-nos-á verdor na sua primavera,
E um rio aonde ir ter quando acabemos!...

Alberto Caeiro

Imagem retirada do Google

5 comentários:

FireHead disse...

Inverdade. Ou então não é cristão, pois os cristãos acreditam sim que Deus se mostrou aos homens como Homem. "Emanuel" significa "Deus connosco". :)

Fatyly disse...

Acreditava no que acreditava e este poema faz muito sentido...e transmite, pelo menos para mim...uma paz imensa.

Fire
Não sabes quem é Alberto Caeiro?

era:Cristão gnóstico e portanto inteiramente oposto a todas as igrejas organizadas e, sobretudo, à Igreja Católica.

falamos de...:)

Beijos

Fatyly disse...

Por ter sido obrigada a decorar a maior parte da sua obra...hoje vou relendo algumas coisas...que concordo e discordo...porque sempre achei um poeta meio louco:)

wind disse...

Ele não era louco, era um génio, pois só um teria 4 heterónimos:)

FireHead disse...

Fatyly,

Há uma imprecisão aí. Isso do "cristão gnóstico" é uma invenção sem fundamento porque demonstra ignorância acerca da Gnose e do Cristianismo.

O Fernando Pessoa não era cristão de forma alguma, pois cristão que é cristão é católico (Cristo só fundou uma Igreja). Desconhece-se a "religião" de Pessoa, mas uma coisa é certa: ele era gnóstico sim, com supostas ligações ao mundo do oculto (esoterismo), possivelmente uma corrente neopagã. Já li algures que ele era da seita rosacrussiana (Teosofia).

Não é por uma pessoa se afirmar cristã que faz dela mesmo uma cristã se não for católica. Os protestantes e os ortodoxos também dizem que são cristãos, mas a verdade é como escreveu São João, Saíram de nosso meio, mas na realidade não eram dos nossos, pois, se fossem dos nossos, teriam permanecido connosco! (1Jo 2.19.)