terça-feira, janeiro 22, 2013

O Silêncio



Dos corpos esgotados que silêncio
tão apaziguador se levantava!
(Tinha uma rosa triste nos cabelos,
uma sombra na túnica de luz...)
Para o fundo das almas caminhava,
devagar, o sonâmbulo silêncio.
(Que apertados anéis nos braços nus!)
Mas o silêncio vinha desprendê-los.


David Mourão-Ferreira

Foto: Marek Stan:

3 comentários:

Observador disse...

O silencioso toque dos corpos bem sugerido pelo escritor.

Bj

FireHead disse...

Foi o silêncio que juntou dois corpos e depois os separou? Deviam ter feito barulho assim que se encontraram juntos, pois!

Fatyly disse...

Lindissimo e muito sonante e tocante!

Beijocas