segunda-feira, setembro 10, 2012

Os teus pés


Quando não posso contemplar teu rosto,
contemplo os teus pés.

Teus pés de osso arqueado,
teus pequenos pés duros.

Eu sei que te sustentam
e que teu doce peso
sobre eles se ergue.

Tua cintura e teus seios,
a duplicada púrpura
dos teus mamilos,
a caixa dos teus olhos
que há pouco levantaram vôo,
a larga boca de fruta,
tua rubra cabeleira,
pequena torre minha.

Mas se amo os teus pés
é só porque andaram
sobre a terra e sobre
o vento e sobre a água,
até me encontrarem.

Pablo Neruda

Imagem retirada do Google

4 comentários:

Observador disse...

Agora deu-te para o Pablo Neruda.
Acho bem. É uma questão de bom gosto e de reconhecimento pela magnífica obra deixada.

Bj

Nilson Barcelli disse...

Muitas vezes não reconhecemos a quem e/ou ao que nos traz felicidade.
Magnífico.
Isabel, querida amiga, tem uma boa semana.
Beijo.

wind disse...

Não sei porque razão, não ficou o comentário do Ricardo, mas chegou ao meu email assim:
Lindo, Wind!

Não conhecia e gostei muito!

Beijinho e boa semana!

Fatyly disse...

Não conhecia e adorei:)

Beijocas e bom serão