terça-feira, setembro 30, 2008

Acerca de gatos



Contigo chegam os gatos: à frente
o mais antigo, eu tinha
dez anos ou nem isso,
um pequeno tigre que nunca se habituou
às areias do caixote, mas foi quem
primeiro me tomou o coração de assalto.
Veio depois, já em Coimbra, uma gata
que não parava em casa: fornicava
e paria no pinhal, não lhe tive
afeição que durasse, nem ela a merecia,
de tão puta. Só muitos anos
depois entrou em casa, para ser
senhor dela, o pequeno persa
azul. A beleza vira-nos a alma
do avesso e vai-se embora.
Por isso, quem me lambe a ferida
aberta que me deixou a sua morte
é agora uma gatita rafeira e negra
com três ou quatro borradelas de cal
na barriga. É ao sol dos seus olhos
que talvez aqueça as mãos, e partilhe
a leitura do Público ao domingo.

Eugénio de Andrade visto no Palavras d'Ouro

4 comentários:

Cila disse...

Ola wind
venho deixar um beijito.. e dizer que voltei cheia de saudades

Paula Raposo disse...

Pode escrever sobre tudo quem sabe!! Gatos nunca me atraíram. Beijos.

Gilbamar disse...

Gatos são extremamente apaixonantes, agradáveis companhias.

Teu blog cativou-me!

Abraços!

Fatyly disse...

Não conhecia e mostra bem a estima pelos gatos.

Eu fiquei vacinada:):) e não quero mais nenhum

Beijos