segunda-feira, outubro 13, 2014

Na orla do mar



Na orla do mar,
no rumor do vento,
onde esteve a linha
pura do teu rosto
ou só pensamento
- e mora, secreto,
intenso, solar,
todo o meu desejo -
aí vou colher
a rosa e a palma.
Onde a pedra é flor,
onde o corpo é alma.


Eugénio de Andrade

Imagem retirada do Google

3 comentários:

Observador disse...

Dizer mal do que Eugénio Andrade escreve? Não consigo.

Fatyly disse...

Simplesmente maravilhoso!

Beijocas

FireHead disse...

O Eugénio de Andrade sabia escrever. É um facto.