sábado, abril 07, 2012

A par e passo



A par e passo passo neste espaço
abrindo a largos golpes largos espaços

e passas nos meus passos passo a passo
repassas em abraços os meus braços.

A peso peso os passos quando piso
os traços com que traço e já trespasso

o passeio nos lenços que desfaço
em lassos laços quando passas

como um punhal perdido em plena praça.

Joaquim Pessoa

Imagem retirada do Google

3 comentários:

Fatyly disse...

Gostei e é aprova do que ele diz:

«... julgo que a poesia tem, também, a obrigação de palpar o mundo, de estar atenta aos sintomas e ajudar ao diagnóstico.» — Joaquim Pessoa,

Beijocas amiga e um bom sábado

Nilson Barcelli disse...

Este não conhecia.
Há poemas que me passo...
Isabel, querida amiga, desejo que tenhas uma boa Páscoa.
Beijos.

Observador disse...

Devagar se vai ao longe.

Mesmo na areia quase movediça.

Bj