quinta-feira, junho 09, 2011

Do amor I e II



I

A névoa disse à árvore:
tu, cedro, perdes a tua forma,
se eu te abraço. Disse
o cedro: o Sol ama-me mais,
toma o meu corpo inteiro
no seu corpo e dá-lhe ser, figura.

II

Ver o cortejo de cedros
e acreditar que é o cenário.
Depois, estender a mão
através da longa perspectiva
oblíqua e poder apalpar,
na pele, que também os cedros
têm corpos húmidos, saliva,
à espera do Amor.

Fiama Hasse Pais Brandão

Imagem retirada do Google

4 comentários:

Observador disse...

The power of writing.

:)

Fatyly disse...

e têm de facto. Não conhecia e gostei imenso!

Beijocas e um resto de bom dia

Nilson Barcelli disse...

Na verdade nem sabemos o que as árvores sentem... se calhar até pensam...
Excelente escolha.
Tem um bom fim de semana.
Beijos.

Paula Raposo disse...

Lindíssimo!! Beijos, Isabel.