sábado, novembro 08, 2008

Silenciosa felicidade



Acordam
as sombras floridas
Flutuando alegremente
Pela intensidade do intimo desejo.

Brincam os sentidos
Seguindo o voo colorido das aves
E ouvindo o murmúrio azul dos riachos.

Dançam pensamentos cristalinos
Sobre a suavidade deslizante
Das gotas brilhantes das cascatas.

Vibram comovidos carinhos
Aquecendo ardentes fontes seculares
Da alquimia sensual do beijo.

Resplandecem nuvens de sensibilidade
Espalhando misteriosas ternuras
Pelos perfumes infinitos da felicidade
E no emaranhado das lianas espirituais
Abraçamos majestosos segredos da luz da vida
Criando a magia absorvente do amor.

Jorge Viegas

Foto retirada do Google

4 comentários:

Fatyly disse...

Uma maravilha e cheio de esperança que corre dentro de nós, tal riacho que tem a sua bela própria.

Gostei imenso!

Beijocas e um bom sábado

mfc disse...

As águas... sempre, sempre companheiras.

Menina_marota disse...

Um poema onde sobressai a ternura e a sensualidade. Gostei muito!
Grata pela partilha.
Bj e bom fim de semana ;)

Paula Raposo disse...

Belíssimo poema de amor. Gostei muito. Beijos.