sábado, julho 04, 2015

Murmúrios do mar




Paga-me um café e
conto-te a minha vida" o inverno avançava
nessa tarde em que te ouvi assaltado por dores
o céu quebrava-se aos disparos de uma criança
muito assustada que corria o vento batia-lhe no
rosto com violência a infância inteira disso me
lembro outra noite cortaste o sono da casa
com frio e medo apagavas cigarros nas palmas das
mãos e os que te viam choravam mas tu
,não,nunca choraste por amores que se perdem os
naufrágios são belos sentimo-nos tão vivos entre as
ilhas ,acreditas? E temos saudades desse mar
que derruba primeiro no nosso corpo tudo o que
seremos depois "pago-te um café se me contares
o teu amor".

José Tolentino Mendonça

Imagem retirada do Google

6 comentários:

FireHead disse...

É impressão minha ou este poema é um pouco confuso? Pontuação praticamente inexistente... isto é à Saramago?

Beijinhos e boa semana!

wind disse...

Talvez seja um pouco sem pontuações, mas eu gosto.
Quanto a Saramago nunca o verás aqui porque detesto a forma dele escrever:)

wind disse...

FireHead só por curiosidade não sei se sabes, mas este poeta é padre:)

Fatyly disse...

Uma maravilha e com uma grande mensagem.

Beijocas

FireHead disse...

É padre e depois? Muda alguma coisa? :P

wind disse...

Não muda nada. Foi só uma informação.
Como já deves saber aqui escolho os poemas porque gosto e não pelos autores:)