sábado, janeiro 23, 2010

A flóber



Ainda me lembro. O melhor presente
que tive foi sem dúvida aquela flóber.
Toda a garotada da terra colaborou no meu
entusiasmo. Íamos para o campo,
pam pam, pardal aqui, pam pam, pardal ali.

A única arrelia que tive com ela foi
quando um dia, sem querer, pam,
acertei em cheio na tia Albertina.

Para castigo não me deixaram ir ao enterro.

Mário Henrique Leiria

Imagem retirada do Google

5 comentários:

Fatyly disse...

Humor negro...mas tive que rir e pobre Albertina:)

Inédito:)

Beijos e um bom sábado

Amélia disse...

Sempre gostei dos Contos do Gin Tonic mais do que de gin...e do humor um tanto ácido também do MHLeiria...

Paula Raposo disse...

Adoro este poema!! Beijos.

Alien8 disse...

O humor imperdível de Mário-Henrique Leiria! "A infância nunca esquece".... :))

Beijinho, Wind!

polittikus disse...

Este é daquele tipo de humor que eu gosto... do "preto escuro".