terça-feira, dezembro 29, 2009

O impossível carinho



Escuta, eu não quero contar-te o meu desejo
Quero contar-te apenas a minha ternura
Ah se em troca de tanta felicidade que me dás
Eu te pudesse repor
- Eu soubesse repor -
No coração despedaçado
As mais puras alegrias de tua infância!

Manuel Bandeira

Foto retirada do Google

7 comentários:

Paula Raposo disse...

Muito lindo!! Beijos.

© Piedade Araújo Sol disse...

boa escolha!

bom ano de 2010.

um beij

polittikus disse...

Já conhecia o poema, que e´lindo. A foto está brutal...

Fatyly disse...

Um delícia de poema, quanta ternura e a foto está a condizer.

Beijocas e uma boa noite

Nilson Barcelli disse...

A simplicidade ao serviço da excelência poética.
A ternura antes do desejo, pois claro...
Querida amiga Wind, desejo-te as maiores felicidades para o novo ano que se aproxima.
Beijos.

rabina disse...

Ternura, carinho: uma combinação perfeita.

mfc disse...

Terno... terno!